19 de março de 2007

e fala-se do futuro

É o fim do lusco-fusco
o peixe já chegou
e o barco voltou a partir
as últimas cintilações apagam-se
um copo grande com chá
para aquecer as mãos e a alma
a palavra sincera
olha-se o mar
e fala-se do futuro
joga-se às cartas
esfuma-se um pensamento lazúli
não se olha mais o mar
olha-se para a televisão

Tahar Ben Jelloun, nascido em Fez, 1944, do livro Arzila: Estação de Espuma, tradução de Al Berto, Hiena Editora, Lisboa,1987. A imagem deste post é uma das ilustrações feitas para o livro por Luís Manuel Gaspar.

1 comentário:

Jailma Rocha disse...

Adorei o poema, muito sensível.